Supernatural na Entertainment Weekly

Yay!!! Estamos de volta com mais um post, e dessa vez com a tradução da matéria  de Supernatural, que saiu na revista Entertainment Weekly.

A matéria é da edição de setembro de 2016 e trás na capa o Jensen, Jared e o nosso amado Impala.

Então vamos parar de enrolar,  e bora pra a matéria traduzida?

*lembrando que a tradução é livre! E o que tiver em parenteses é a nossa explicação,ok?!


 A Van do legista apenas parou na calçada

JBR - Supernatural Para a EW supernatural fall tv cover battle winner(Sim esse é o titulo da matéria, rsrsrsr, mas bora pra tradução da matéria em si.)

É meio de Agosto, e Jared Padalecki e Jensen Ackles estão filmando uma cena em uma fazenda em Vancouver, como se estivessem em Lowa (uma cidade localizada no estado americano de Lowa, no Condado de Johnson). Sam e Dean Winchester, já abandonaram as blusas de flanelas e jeans, a fim de se passarem por assistentes sociais. Eles estão fazendo o que os irmãos fazem de melhor: mentir sobre seu verdadeiro trabalho, salvar pessoas, caçar coisas.

Estamos indo para a 12ª temporada, um show mais longo na CW/WB, Supernatural conta a história dos irmãos Winchester que estão no negócio da família, caçando criaturas depois que sua mãe foi morta por um demônio. A jornada que começou como seu pai por vingança, evoluiu para inúmeras mortes de monstros, experiências de quase morte, e algumas mortes reais.

Até este ponto, os Winchesters foram e voltaram do inferno, mataram a própria Morte, ficaram cara-a-cara com Deus, e impediu o apocalipse. Mas talvez o mais impressionante foi que a série sobreviveu a três presidentes da CW, a quatro showrunners, uma greve dos escritores e quatro intervalos de tempo diferentes.

Acontece que a única coisa mais difícil de matar do que os Winchesters é o próprio show. “É um daqueles shows que mudou muito, e ainda mantém a audiência que construiu”, diz Peter Roth o presidente de televisão da Warner Bros. “tem sido um desconhecido herói.”

Se alguém sabe sobre ser um herói não reconhecido, é Sam (Padalecki) e Dean (Ackles), que dedicam suas vidas a servir os outros e não pedem nada em troca. Sério, quantas noites passaram dormindo no carro? E, no entanto, a vida na estrada abriu o caminho para o de episódio de maior risco do show, que desempenhou um papel crucial em manter o público envolvido. No ano passado, “Baby” teve a sua história contada inteiramente a partir da perspectiva de seu amado Impala 1967, e isso não é nem perto da coisa mais louca que o show tentou.

Além de as regras de seu criador, eles têm um historiador na sala dos roteiristas para mantê-los honestos – nem mesmo o céu é o limite quando ele com ideias para a história. “[Criador da série] Eric Kripke costumava dizer, ‘fume’ se você quer, o que significava que nada é tão louco, não tenha medo de mostrá-lo para nós”, diz o produtor executivo Robert Singer. Esse lema levou ao mais famoso episódio da sexta temporada “The French Mistake”, em que Sam e Dean se encontraram em um universo alternativo onde todos os confundiram com Jared Padalecki e Jensen Ackles, as estrelas de um show chamado Supernatural. “Nosso show não é obrigado a realidade”, diz Ackles. “Nós estamos enraizados na realidade, mas não estamos vinculados a ela.”

Não importa quem começa as meta ou as ideias abstratas – Deus tem uma irmã – uma coisa permanece inalterada: No centro de tudo está Ackles e Padalecki, que são Dean e Sam são o coração do show (Quer deles estão batendo ou não). Sentar para jantar em Vancouver, a irmandade entre os dois – ambos vivem em Austin quando não estão filmando – eles terminam a cena e vão discutir sobre quem comeu o último pedaço de atum do Padalecki.

Os fãs não estão surpreendidos pela química, mas o que pode ser surpreendente é que 11 anos mais tarde, as estrelas ainda estão ansiosos para falar sobre o porquê eles amam seu show. Mesmo tendo suas cenas favoritas em seus telefones para assistir à mesa. Padalecki, 34, pode facilmente nomeou os scripts que o fez chorar – “Heart,” “Sacrifice” e “Baby“. O traço comum é um momento entre os irmãos, onde eles começam a falar sobre sua vida louca como se, digamos, tendo visões de Lúcifer é normal. “Eu me sinto como as situações em que tratamos como apenas parte da vida. É a forma que o show prospera”, diz Padalecki. Ackles, 38, acrescenta: “Eu acho que o show é verdadeiramente no seu melhor quando não se leva muito a sério, então ele se leva a sério, então ele fica assustador como s —“.

Saindo de uma temporada que onde se tem um novo showrunner. Andrew Dabb tem grandes lacunas para preencher. Seu plano: voltar ao básico “Toda vez que fazemos grande, abrangendo história, sentimos que estamos realmente elevando o nosso show”, Dabb diz: “O nosso programa foi projetado para ser e eu acho que funciona melhor, com menores histórias pessoais e uma torção de gênero.”

E não é difícil contar uma história pessoal quando a 11ª temporada terminou com a ressurreição de Mary Winchester (Samantha Smith), mãe de Sam e Dean, que morreu no piloto. “Você vai ver dois irmãos serem filhos”, diz Ackles. “Vimos [com o pai, John], mas quando você é um filho e seu pai, é um filho diferente de quando você está com sua mãe”, Com Deus e Amara desaparecendo ao fundo, Mary vai encontrar-se no bunker e caçando na estrada. “[Esta temporada é] mais Sam e Dean na estrada. Mary está lá. Cas está lá. Crowley está lá”, diz Dabb. Como Crowley (Mark Sheppard) está menos preocupado com o alce e o esquilo, e quer recuperar o controle do inferno, Castiel (Misha Collins) é quem vai encorajar os irmãos a ser relacionar com a mãe. “Ele tem uma experiência compartilhada e ainda sentir-se ligado a eles”, diz Collins, cujo anjo é o mais próximo do que se pode chegar a ser o terceiro irmão Winchester. “Ele está empurrando-os para enfrentar a bomba emocional que é a sua mãe aparecendo.”

Para Sam, é a primeira oportunidade real para estar com sua mãe, que morreu quando ele tinha seis meses de idade. “Eu acho que Sam glorificou a mãe em sua cabeça”, diz Padalecki. “Tem sido divertido para mim, depois de 240 e alguma coisa de episódios, ver uma nova faceta da marca da personalidade de Sam para interpretar.”

Duzentos e quarenta e um episódios, para ser exato, e eles não terminaram ainda. O presidente CW Mark Pedowitz deixou claro que, enquanto para os caras estão felizes e as classificações são relativamente estáveis, Supernatural tem uma longa vida pela frente. Para Ackles e Padalecki, seu foco é sobre a próxima etapa: bater 300 episódios (algo que os levaria ao 13º episódio da 14ª temporada.). No entanto, se Sam e Dean lhes ensinaram alguma coisa, é que a morte pode estar à espreita em cada esquina (e ele geralmente está comendo pizza). “Se nós não fizermos o 300, eu acho que Ackles e eu, ambos estaremos serão realmente chateado”, diz Padalecki. “Quando chegarmos a 300, acho que chegará a hora de Ackles e eu dizermos adeus.” Ackles acrescenta: “Eles estão nos pagando para trazer um pouco de magia para vocês, e eu ainda sinto a magia, o dia em que eu não sentir mais essa magia vai ser um dia muito triste, e eu espero que esse dia nunca chegue. Eu gostaria de chegar aos 300 episódios antes que isso aconteça “. (“A única coisa que é certa em Supernatural é o destino de ‘Baby’ “Ele fica com ‘Baby’” Padalecki diz de Ackles “Eu fico com ‘Baby’ dois.” Ackles o corrige… “Não, você vai ficar com ‘Baby’ três. A dois é dublê.”).

À medida que o sol se põe em Vancouver, Sam e Dean abandonam suas calças jeans e entram em uma van. Não será necessário – este show tem um monte de vida nele. Não que a morte já parou antes.


 Quer ver as fotos do J2 para a revista? Então clique aqui e visite nossa galeria!

E lembrem-se  amores, deixem seus cometários.

Obrigada ao @WinchesterBros por ter disponibilizado a matéria em inglês!

Até a próxima!!!

XOXO Equipe JBR!

     

Comente aqui com a gente também